REDES

Terceiro dia do XXII Congresso das Associações Comerciais e Empresariais de Minas Gerais


XXII Congresso das Associações Comerciais e Empresariais de Minas Gerais
O terceiro dia - 25/10/2019

"Estamos prontos para realizar e mudar realidades em Minas", diz presidente da Federaminas
Emílio Parolini se despede da presidência da entidade deixando marca de humanismo na gestão e com recorde público em congresso anual.
Terminou neste sábado (26) em Araxá, no Alto Paranaíba, o Congresso das Associações Comerciais e Empresariais de Minas Gerais. O evento, tradicionalmente um termômetro da atividade econômica e da expectativa dos mais diferentes setores frente aos panoramas local, estadual, nacional e internacional; reuniu mais de 700 presidentes, diretores e executivos das Associações Comerciais de todo o Estado, além de empresários e representantes de outras entidades de classe. "Um recorde que fica como marco deste evento e que mostra o quanto os associativistas querem e estão em busca de superar os desafios. Programamos uma grade cheia, robusta que surpreendeu positivamente a todos", conta Emílio Parolini, presidente da Federaminas.

O evento trouxe como tema este ano, as ferramentas para que empreendedores possam, de fato, realizar mudanças em seus municípios. "Realize-se. Um tema forte, que foi pensado mesmo para provocar alterações na forma dos congressistas pensarem e agirem e para dar instrumentos para que eles possam transformar. Estamos prontos para realizar e mudar realidades em Minas", ressalta.

Para Graziela Costa Peres, de Teófilo Otoni, o evento, de fato, é capaz de, através da reflexão, promover novas atitudes no cotidiano. "Foi além das expectativas. É um crescimento profissional e pessoal emocionante. Saímos daqui renovados, motivados e vamos crescer", ressalta.
O presidente da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB) concorda. Durante o evento, George Pinheiro, também fez um balanço da gestão de Emílio Parolini frente à Federação de Minas Gerais. "Emílio fez um trabalho espetacular à frente da Federaminas. Uniu as associações comerciais do Estado, tem feito um trabalho unindo o poder público com a iniciativa privada, deu um grande impulso no Conselho da Mulher Empresária e aos jovens empresários. É, com certeza, uma referência no país", disse.

Emílio deixa a diretoria da entidade após 12 anos de dedicação à causa associativista na Federaminas. "O associativismo é algo diferente. A gente faz uma entrega acreditando naquele projeto. O sucesso desse e de outros projetos coroa todo o trabalho que fizemos na liderança da Federaminas. São seis anos como vice e seis anos como presidente. Estamos fechando nosso ciclo e o sucesso de todos é o nosso sucesso. A gente trabalha e eles estão aqui porque eles acreditam no nosso trabalho", ressalta.

O último dia
Ele ganhou notoriedade nacional durante a tragédia em Brumadinho, mas, em Minas Gerais, o tenente do Corpo de Bombeiros, Pedro Aihara, de 26 anos, já era muito conhecido pela competência e pela facilidade na comunicação. Graduado em direito pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e em Ciências Militares, com ênfase em gestão e prevenção de catástrofes, pelo CBMMG, especialista em gestão de projetos pela Universidade de São Paulo (USP) e em prevenção de desastres pela Universidade de Yamaguchi (Japão); Tenente Aihara foi um dos destaques da programação do Congresso da Federaminas neste sábado (26).
O jovem bombeiro falou sobre inteligência emocional e influência.
"Todo ser humano tem dentro dele potencialidades incríveis de estabelecer conexões com outros seres humanos só que, às vezes, a gente fica numa visão técnica demais e esquece de que as nossas necessidades não são só necessidades fisiológicas ou financeiras. Temos necessidade também de acolhimento, de respeito de carinho e quando a gente consegue caminhar para atender essas necessidades a gente consegue fazer algo que toca as pessoas", explica.
Para Tenente Aihara é preciso ressignificar a atuação das pessoas dentro de suas profissões e entidades. "Estamos na época do sense making, ou seja, as coisas precisam fazer sentido, as pessoas precisam ser realizadas naquilo que elas fazem. A reflexão nossa é no sentido de conseguirmos expandir um pouco a visão daquilo que a gente realiza e conseguir, de fato, entregar não só produtos e serviços, mas entregar significado. As pessoas precisam de conexão e é isso que transforma a nossa vida", defende.

Após a palestra, que terminou com congressistas de pé e uma extensa salva de palmas, o público pôde ouvir relatos de sucesso do associativismo de cidades como Belo Oriente, Teófilo Otoni e Diamantina. Na sequência um Painel debateu o panorama político e econômico do Estado de Minas Gerais e do Brasil. Da discussão participaram o gerente regional do Sebrae Triângulo Mineiro, William Rodrigues de Brito; o prefeito Nova Lima, Vitor Penido; o presidente da Federaminas, Emílio Parolini e o Senador Carlos Viana."O risco é parte de todo o negócio. O problema é quando esse risco não está apenas na escolha da área, do nicho, do setor, de como trabalhar. É quando você tem uma economia nacional instável. Temos um novo governo que tem se preocupado em fazer reformas, controlando o déficit e principalmente em dar segurança jurídica a quem quer investir. Esse foi um ano de arrumar a casa. A partir do ano que vem nós começaremos a perceber que a economia dará sinais de melhora, mas não mais do que este ano. A minha orientação aos empresários é que se mantenham atentos. É o ano para se planejar o crescimento", orienta.

A programação foi encerrada com a entrega do Mérito Empresarial que homenageou 100 empresários de diversos municípios mineiros com atuação em vários segmentos da economia.

Crédito das Fotos: @excelenciafotografias e Vinícius Cardoso