REDES

Setor produtivo cobra ações do governo federal para enfrentar crise

Algumas das demandas expostas pela CACB durante a reunião com o presidente Bolsonaro têm sido constantemente solicitadas pela Federaminas

 
Maior agilidade nas ações de apoio aos empresários para combater a crise econômica sem precedentes que se abateu sobre o setor produtivo brasileiro devido à pandemia da Covid-19 foi o tema central da reunião com o presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta terça-feira (13/04). O encontro foi articulado pelo presidente da Frente Parlamentar da Micro e Pequena Empresa, senador Jorginho Mello (PL/SC). 


A reedição do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) e do Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda, mais conhecido como Bem, são algumas das demandas que têm sido constantemente solicitadas à Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB) pela Federação das Associações Comerciais e Empresariais de Minas Gerais (Federaminas). 


"Cientes das dificuldades que os empresários têm enfrentado, nós temos cobrado dos governos estadual e federal medidas de socorro, de apoio. Temos pedido o apoio da CACB nesse sentido. E temos ressaltado que precisamos de mais agilidade, mais efetividade, caso contrário teremos mais empreendimentos fechando as portas", explicou Valmir Rodrigues, presidente da Federaminas.  


A reunião, segundo os empresários, foi satisfatória. "Saímos com a promessa de que em dez dias teremos nossos questionamentos resolvidos para que possamos voltar a ter esperança de recuperar empresas que estão à beira da falência e evitar milhares de demissões", disse George Pinheiro, presidente da CACB. 


Antes do encontro com o presidente, o grupo se reuniu na sede do Sebrae Nacional para alinhar os assuntos que seriam levados à reunião com Bolsonaro e Guedes. Na ocasião, o senador Jorginho Mello disse que a intenção do encontro era falar da agonia enfrentada pelos empresários brasileiros. "Os importantes segmentos aqui representados estão desesperados. A situação é muito séria. O micro e pequeno empresário precisa ser socorrido e o braço forte, neste momento, é o governo, que tem sido muito parceiro", disse. 


Carlos Melles, presidente do Sebrae, destacou a vontade do setor produtivo de ajudar o Brasil a crescer. "Isso é o mais importante em um momento como esse. Essa ação vai falar muito alto ao país e dar mais esperança às micro e pequenas empresas", afirmou. 


Além de George Pinheiro, da CACB, a União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços (Unecs) também foi representada pelo presidente da Associação Brasileiras de Bares e Restaurantes (Abrasel), Paulo Solmucci. Também estiveram presentes representantes de setores como turismo, salões de beleza, e eventos. 


Assessoria de Comunicação da Federaminas