REDES

Demanda por crédito tem aumentado com a pandemia

Só o BDMG deve desembolsar 53% a mais em 2020
 
Neste ano, a demanda por capital emergencial por parte das empresas mineiras diante da crise econômica imposta pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) deve aumentar em 53% no volume de desembolsos por meio das diferentes linhas de crédito de acordo com as projeções do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG). Os desembolsos realizados em 2020 já ultrapassaram a marca de R$ 1 bilhão e a previsão do banco é encerrar o exercício com R$ 2 bilhões em empréstimos. No ano passado, o montante registrado foi de R$ 1,3 bilhão.  


A marca de R$ 1 bilhão foi atingida no último dia 12 de julho e, em 2019, esse mesmo valor só foi atingido em meados de novembro. Por isso o BDMG tem a perspectiva de dobrar o valor de concessão de crédito até o final deste ano.  


Do valor total de empréstimos realizados até hoje, R$ 692,9 milhões foram destinados para médias e grandes empresas e R$ 165,5 milhões para micro e pequenas. Já R$ 148,91 milhões foram liberados nos primeiros 12 dias de junho.  


Linhas de crédito para a pandemia  


O BDMG ampliou os desembolsos nas linhas criadas para o suporte ao combate à pandemia. Uma das ações é a possibilidade de renegociação de dívidas, a criação de novas linhas de crédito, a redução de taxas de juros, a ampliação de prazos e a desburocratização na contratação de financiamentos.  


Em um primeiro momento, o banco abriu linhas de crédito com condições especiais para auxiliar empresas do setor de saúde. Depois, lançou condições de financiamento facilitadas para as micro e pequenas empresas (MPEs) da cadeia do turismo. Em seguida, vieram as linhas multissetoriais para diversas atividades em todo o Estado