REDES

BC reduz Selic e taxa de juros atinge 2,25% ao ano

De acordo com a expectativa do mercado, o Banco Central cortou a Selic em 0,75% ponto e levou os juros básicos a nova mínima histórica de 2,25% ao ano. A mudança vem em meio aos profundos impactos do surto de Covid-19 na economia brasileira. Essa foi a oitava vez consecutiva que o BC baixou os juros, em um processo de afrouxamento monetário iniciado em agosto do ano passado.
 
Além disso, a instituição deixou no ar a possibilidade para uma nova redução mais adiante condicionada à uma avaliação do cenário econômico. O efeito da pandemia do novo coronavírus e uma diminuição das incertezas em relação à trajetória das contas públicas do Brasil são aspectos a serem considerados pelo Comitê de Política Monetária (Copom) nas próximas reuniões.  
Sobre a inflação, o BC ponderou que vários programas de estímulo ao crédito e de recomposição de renda que foram implantados no combate à pandemia podem fazer com que a redução da demanda agregada seja menor do que a estimada. Esse novo fator pode pressionar a inflação para um nível acima do projetado.  
De acordo com as contas do Banco Central, o IPCA fechará este ano em 2,0% e 2021 em 3,2%. Em maio, o BC enxergava esses patamares em 2,4% e 3,4%, respectivamente, com o dólar a R$ 5,55. A meta de inflação deste ano é de 4,0% e para 2021, de 3,75%, sempre com margem de tolerância de 1,5 ponto para mais ou para menos.  
Assessoria de Comunicação da Federaminas