REDES

Aumento de casos de Covid-19 faz macrorregiões Centro e Norte voltarem a ondas mais rígidas

As macrorregiões de Saúde Centro e Norte retornarão às ondas verde e branca, respectivamente, do plano Minas Consciente. A decisão foi anunciada pelo Comitê Extraordinário Covid-19, nesta quarta-feira (17/6), com o objetivo de preservar a saúde da população, uma vez que as duas regiões apresentaram aumento significativo no número de casos de Covid-19, o que colocou em risco a capacidade assistencial da rede hospitalar.   Todas as mudanças definidas na reunião do Comitê Extraordinário Covid-19 passarão a valer a partir do próximo sábado (20/6), com a publicação no Diário Oficial do Estado.     



Com o retrocesso, os 101 municípios da macrorregião Centro, que engloba a Região Metropolitana de Belo Horizonte, estão orientados a manter abertos somente os serviços essenciais, como padarias, farmácias e supermercados. Já as 86 cidades do Norte estão orientadas a fecharem temporariamente estabelecimentos como papelarias, salões de beleza e lojas de roupas. Podem continuar funcionando os serviços essenciais e as atividades autorizadas na onda branca, a exemplo das autoescolas, lojas de artigos esportivos e floriculturas.



As outras 12 macrorregiões de Saúde seguem nas ondas estipuladas na última semana, mas são monitoradas diariamente, com possibilidade de retrocesso a qualquer momento, caso o quadro se agrave.   De acordo com o Comitê Extraordinário Covid-19, o momento é de redobrar todos os cuidados, como uso de máscaras de proteção e higienização, além de seguir com o distanciamento social, uma vez que o pico da doença está previsto para meados de julho. 



Minas Consciente   Até o dia 17 de junho, 145 prefeituras já tinham oficializado a adesão ao Minas Consciente. O plano setoriza as atividades econômicas em quatro "ondas" (onda verde - serviços essenciais; onda branca - primeira fase; onda amarela - segunda fase; onda vermelha - terceira fase), a serem liberadas para funcionamento de forma progressiva, conforme indicadores de capacidade assistencial e de propagação da doença. As mudanças de ondas são avaliadas semanalmente pelo Comitê Extraordinário Covid-19.       



O plano tem como objetivo orientar as prefeituras e deverá ficar a critério de cada prefeito aderir ou não os protocolos em seu município. Os empresários que desejam reativar seus estabelecimentos devem consultar se a prefeitura de seu município aderiu ao plano e seguir as orientações da Secretaria de Estado de Saúde



Onda amarela       
A macrorregião de Saúde Leste do Sul apresentou resultados favoráveis após a adoção das medidas mais flexíveis. Por isso, foi possível manter o funcionamento seguro de espaços como lojas de variedades, lojas de departamentos ou magazines (exceto Duty Free), tabacarias, livrarias, papelarias e lojas de vestuário. Tudo isso graças às taxas controladas da doença nas regiões e o índice seguro de ocupação de leitos de UTI.   No entendo, como os números são acompanhados diariamente, as recomendações podem ser alteradas a qualquer momento se forem identificados fatores que coloquem em risco a saúde da população.   As empresas localizadas nas macrorregiões que estão na onda amarela deverão seguir protocolos de segurança para a reativação. Alguns deles são: demarcar com sinalização no lado externo do estabelecimento a distância de 2 metros entre as pessoas que ficarem nas filas; só permitir a entrada de clientes se estiverem utilizando máscaras; dar atendimento preferencial e especial a idosos, hipertensos, diabéticos e gestantes, garantindo um fluxo ágil de maneira que essas pessoas permaneçam o mínimo de tempo possível no interior do estabelecimento; e limitar o número de funcionários ao estritamente necessário para o funcionamento do serviço. Todos os protocolos estão disponíveis no site www.mg.gov.br/minasconsciente/empresarios



Onda branca
    
Após retroceder à onda branca, a macrorregião Norte se junta às macrorregiões de Saúde SulCentro-Sul, que deverão manter as medidas já adotadas nas últimas semanas.   Para a reabertura segura, os comerciantes devem seguir os protocolos do plano Minas Consciente e seguir as orientações, tais como: os estabelecimentos devem ter meios para higienização das mãos com água e sabão ou álcool em gel 70%, devem fornecer Equipamentos de Proteção Individual adequados para a atividade exercida e providenciar barreira de proteção física quando os funcionários estiverem em contato com o cliente. 




Onda verde
    
  Além da região Centro, que voltou à onda verde após o aumento no número de casos, as regiões Noroeste, NordesteJequitinhonhaLeste, Vale do Aço, SudesteOesteTriângulo do Sul e Triângulo do Norte ainda não apresentam índices favoráveis para a retomada de novos setores econômicos, já que a relação entre o número de leitos e a incidência de novos casos, além do tempo médio para internação após solicitação, não permitem uma folga confiável se o número de casos crescer em decorrência da reabertura de novos estabelecimentos.



Por isso, a orientação é que os municípios dessas regiões continuem seguindo os protocolos previstos na onda verde, para preservar a saúde da população e a capacidade de atendimento do sistema de saúde local.