REDES

Fiemg e Federaminas fazem parceria com o Observatório Social do Brasil

"A indústria anda de mãos dadas com a sociedade e o que a impacta, reverbera na indústria. Por isso é uma honra para a Fiemg participar de um projeto que está mudando a sociedade", ressaltou Flávio Roscoe, presidente da entidade, na assinatura do termo de cooperação entre a instituição e o Observatório Social do Brasil (OSB), realizada no dia 7 de dezembro na sede da federação. Para ele, os observatórios sociais são importantes ferramentas para que a sociedade possa acompanhar de perto os gastos públicos. "Não é um projeto nosso e sim da sociedade, contamos com todos para que seja um sucesso", pontuou.

Ney Ribas, presidente do Observatório Social do Brasil, endossou Roscoe acentuando que o OSB é projeto que não tem dono e não existiria sem o apoio e envolvimento de entidades civis e de classe. "São essas instituições que dão base a ele", afirmou. Segundo Ribas, mais de 100 municípios mineiros têm interesse em participar da ação. "Com essa parceria, vamos consolidar isso, e com o escritório do observatório em BH, poderemos ser guardiões dos bons princípios, disseminando esses valores do chão da fábrica às escolas".

O OSB, com sede no Paraná, é formado pelos diversos Observatórios Sociais (OS), presentes em 136 cidades de 16 estados. Seu princípio básico é a justiça social, que será alcançada quando os agentes públicos aplicarem, com ética e eficácia, os tributos recolhidos. OSB Minas Gerais é o segundo do Brasil e já conta com 12 cidades filiadas. "Não foi fácil chegar ao dia de hoje e queremos fazer diferença no estado", comentou Emílio Parolini, presidente da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado de Minas Gerais (Federaminas).

Parolini, que também assinou o documento, explicou que os OS acompanham as licitações, o que ajuda os governos municipais a controlarem seus gastos públicos. "Se as prefeituras aproveitarem seus recursos de maneira correta, sobrará mais para investir em outras frentes, como saúde e educação", afirmou. "Queremos mudar o momento crítico pelo qual estamos passando e projetos como esse nos faz lembrar que a chama da esperança ainda queima", ressaltou.


O Observatório Social do Brasil é uma instituição não governamental e sem fins lucrativos, que promove a capacitação e oferece suporte técnico aos OS. Segundo dados de abril de 2018, o OSB conta com mais de 3.500 voluntários trabalhando pela causa da justiça social. Segundo a OSB, nos últimos quatro anos, com a contribuição dos voluntários, foram economizados cerca de R$ 2 bilhões para os municípios envolvidos. Desta maneira, a cada ano, mais de R$ 300 milhões do dinheiro público deixam de ser gastos desnecessariamente.

Em agosto deste ano, a Federaminas assinou termo de cooperação com o Observatório Social do Brasil objetivando a implantação de unidades em municípios mineiros. 

(Denise Lucas-Fiemg/Comunicação Federaminas)