REDES

Pesar da Federaminas pela morte do ex-presidente Adolfo Martins da Costa



Causou grande consternação nos meios empresariais e políticos do Estado o falecimento, em 13 de agosto, do empresário e engenheiro civil Adolfo Neves Martins da Costa, ex-presidente da Federaminas (1969-1972) e chanceler do Conselho da Medalha Giovanni Agnelli, criada pela entidade para homenagear personalidades que contribuíram para o desenvolvimento socioeconômico de Minas Gerais.
 
Durante a gestão do presidente Adolfo Neves, a Federaminas empenhou-se em uma articulação entre o empresariado e o Estado em busca do fortalecimento da economia mineira, defendendo a inclusão de Minas no roteiro das missões econômicas que visitavam o País, a abertura de MG ao exterior, maior agressividade nas exportações mineiras, a desconcentração industrial e a interiorização do desenvolvimento brasileiro. Este trabalho teve como grande destaque a atração para Minas da Fiat, de cuja fábrica Adolfo Neves foi o primeiro presidente, conduzindo a implantação da montadora em Betim, a convite do então governador Rondon Pacheco.
 
No movimento das Associações Comerciais, Adolfo Neves trabalhou pela criação de entidades em todo o Estado e promoveu diversos encontros regionais, tendo como foco uma ação conjunta visando o desenvolvimento econômico integrado das regiões mineiras.
 
Ao manifestar as condolências da Federaminas pela morte do ex-presidente Adolfo Neves Martins da Costa, o presidente Wander Luis Silva destaca o importante legado de trabalho do empresário em prol da classe empresarial e da economia mineira.