REDES

Macrorregião Centro-Sul avança para a onda branca

Em função da melhora nos dois principais índices (leitos/ocupação e taxa de contaminação) considerados para o avanço ou o retrocesso nas ondas, o Comitê Extraordinário Covid-19, decidiu, nesta quarta-feira (8/7), que a macrorregião de Saúde Centro-Sul poderá avançar para a onda branca do plano Minas Consciente. A decisão, que passa a valer a partir do próximo sábado (11/7), com a publicação no Diário Oficial, permite a reabertura segura de atividades como autoescolas, lojas de artigos esportivos e floriculturas.


Segundo o Governo, a região Centro-Sul possui a maior taxa de adesão do estado, com 37 dos 51 municípios inscritos no plano. Ela tem tido um número de casos bem inferior à curva de Minas, com capacidade de reserva em seu sistema de Saúde. Por isso, está avançando uma onda neste momento.


Com o avanço, a Centro-Sul se une às macrorregiões de Saúde Leste do SulNorte e Sul, que continuam apresentando taxa de ocupação de leitos controlada até o momento e seguirão os protocolos da onda branca por mais uma semana.


Já as outras dez regiões do estado serão mantidas na onda verde, quando é permitida a abertura somente de serviços essenciais, a exemplo de padarias, supermercados e farmácias.


Diante da proximidade do pico da pandemia, os mineiros de todas as macrorregiões devem redobrar as medidas de proteção e o distanciamento social na próxima semana, para evitar a sobrecarga do sistema de Saúde.


Vale lembrar que o plano Minas Consciente setoriza as atividades econômicas em quatro "ondas" (onda verde - serviços essenciais; onda branca - primeira fase; onda amarela - segunda fase; onda vermelha - terceira fase), a serem liberadas para funcionamento de forma progressiva, conforme indicadores de capacidade assistencial e de propagação da doença. Além disso, as mudanças de ondas são avaliadas semanalmente pelo Comitê Extraordinário Covid-19, composto pelo governador Romeu Zema, todo o seu secretariado, representantes do Ministério Público do Trabalho, do Ministério Público de Minas Gerais, da Defensoria Pública, do Tribunal de Contas do Estado, entre outros órgãos estratégicos.


Assessoria de Comunicação da Federaminas