REDES

Empresários do Lago de Furnas se movimentam pela aprovação da PEC 52/2020

As discussões em torno dos benefícios que a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição nº 52 de 2020 podem trazer para o comércio da região do Lago de Furnas têm ganhado cada vez mais adeptos. "É importante para nós, da Federaminas, porque é um projeto que promete dar melhores condições para o desenvolvimento da economia dos municípios em torno do lago, principalmente o setor de turismo, um dos mais prejudicados com a pandemia do novo coronavírus", argumentou o presidente da Federaminas, Valmir Rodrigues.




 
A presidente da Associação Comercial de Formiga, Isabel Cristina Castro Pereira, também é favorável à aprovação da PEC 52/2020 e participa ativamente do movimento na região organizado com esse objetivo. No dia 2 de julho, a Associação Nacional das Águas (ANA) organizou uma reunião para apresentar um estudo sobre a manutenção da cota 762 para a ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico é a entidade responsável pela coordenação e controle da operação das instalações de geração e transmissão de energia elétrica do Sistema Interligado Nacional).



Segundo Isabel Pereira, que também é empresária do segmento de turismo, além dos integrantes da ANA e ONS, a reunião contou com representantes da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), Governo de Minas, Ministérios de Minas e Energia, do Meio Ambiente e do Desenvolvimento Regional, Comitê da Bacia do Rio Grande, deputados estaduais, federais e senadores, sociedade civil organizada, Ministério Público, ativistas sociais e ambientais, somando mais de 70 participantes.


"Organizamos um grupo de lideranças muito produtivo, com uma representatividade forte e expressiva. O Movimento Pró-Furnas deixou claro o interesse de todos os envolvidos na solução construtiva e rápida para a manutenção da cota 762. Nenhum ponto da conclusão dos estudos apresentados pela ONS deixou de ser rebatido e contra argumentado na busca e defesa dos interesses de Minas e em especial dos municípios lindeiros. Estamos confiantes de que, juntos somos mais fortes e unidos faremos a diferença", afirmou confiante a empresária, que também é diretora da Federaminas.  


Lago de Furnas atinge maior nível desde 2016


Apesar de o Sul de Minas não ter registrado chuvas, o Lago de Furnas chegou a atingir 763,8 metros, o maior nível registrado desde 2016. Estudos mostram que, mesmo em período de seca, a cota 762 é possível e não compromete a geração de energia, o que possibilita o múltiplo uso das águas. Em novembro de 2019 a represa atingiu um de seus piores níveis com 753,7 metros.



Atualmente o Lago de Furnas possui um volume útil de 66,95%.   A subida das águas não chega a assustar a população, pelo contrário, o momento é de comemoração para todos na região, já que o movimento gerado pelo turismo caiu drasticamente com a pandemia do novo coronavírus. Esse recorde do nível do lago é, certamente, um ponto positivo para municípios como Guapé, Capitólio, Boa Esperança e Fama. Além disso, favorece a aprovação da PEC 52.   A expectativa do deputado estadual Professor Cleiton, autor da Proposta, é que, passada a pandemia, ela seja aprovada o mais rápido possível na Assembleia Legislativa de Minas Gerais.    



Assessoria de Comunicação da Federaminas