REDES

Como se preparar para o Dia dos Pais



Com a aproximação de mais uma data importante para o comércio varejista, o Dia dos Pais, comemorado em agosto, os empreendedores devem investir na divulgação de ofertas e promoções não apenas para alavancar as vendas, mas também para fixar seus estabelecimentos como alternativa de consumo neste período de incertezas quanto ao desempenho da economia mundial e de seus efeitos sobre o Brasil.

Uma boa estratégia de divulgação nas redes sociais e em outros meios de comunicação pode ser um instrumento para estimular os consumidores, que andam mais cautelosos, diz Claudio Felisoni, presidente do Programa de Administração de Varejo (Provar) da Fundação Instituto de Administração (FIA) e do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo (Ibevar).

Para ele, esse período de desaceleração econômica deve ser utilizado para se estreitar os laços com os clientes. Para atingir o objetivo, os comerciantes devem lançar mão de seus bancos de dados e, por meio deles, oferecer as ofertas e planos de pagamento adequados aos seus clientes.

Visual das lojas – Além disso, outras iniciativas também podem ser adotadas como o investimento na melhoria do visual das lojas, mais especificamente na decoração de vitrines e na iluminação. O presidente do Provar aconselha, no entanto, que o empreendedor calcule bem as despesas nestes itens e nos custos que as promoções do Dia dos Pais podem acarretar.
 
Ele avalia que, de modo geral, os clubes de lojistas e as entidades como a Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop) têm realizado boas ações para estimular as vendas na data.

Internet – Apesar de o Dia dos Pais apresentar vendas inferiores às obtidas pelo comércio no Natal, no Dia das Mães e no dos Namorados, há boas perspectivas de ganhos nos portais de varejo tanto para as grandes redes quanto para empreendimentos de pequeno porte. Para Paula Warick, gerente de projetos da GS&MD – Gouvêa de Souza, as vendas online e as campanhas de divulgação via web podem ser eficientes instrumentos para alavancar as vendas da data, que são prejudicadas pelo período de liquidação de inverno nas lojas tradicionais e por acontecer logo após o período de férias. A volta às aulas exige sempre despesas em uma família.

Por isso, Paula Warick enfatiza a importância de uma boa estratégia de divulgação nos portais de varejo e nas redes sociais, principalmente para os produtos eletroeletrônicos. "Historicamente, o comércio online de livros, CDs e DVDs também registra bom desempenho, mas atualmente itens como vestuário e calçados têm se destacado e este pode ser um bom caminho a ser explorado pelas lojas que comercializam estes itens", explica. Ela reconhece que os varejistas podem experimentar um sentimento de frustração pela coincidência da data com o período de liquidações, mas eles podem tirar proveito disso e atrair os consumidores que planejavam adquirir apenas lembrancinhas e incentivá-los a comprar itens de maior valor. "Apesar destes fatores desfavoráveis, a data pode ser vantajosa para o comércio e seus ganhos ainda são significativos", afirma.

Rede – A rede Cybelar, composta de 95 lojas no interior paulista, aposta no relacionamento e na proximidade com o cliente como diferencial de atuação. No Dia dos Pais, em especial, procura reforçar tanto a divulgação de produtos com preços promocionais – para fazer frente à concorrência das cadeias varejistas, como Casas Bahia e Ponto Frio – quanto a capacidade de fazer um atendimento diferenciado durante a venda e o pós-venda. Gabemar da Rocha Vieira, diretor de marketing e vendas da Cybelar, enfatiza a importância do atendimento aos clientes no pós-venda. "Estamos em cidades pequenas do interior de São Paulo e conhecemos bem nossos consumidores. Muitos deles têm parentes que trabalham em nossas unidades e isso os aproxima de nós", diz.

Assim, a rede aposta tanto na divulgação de suas ofertas para esta e outras datas tanto na mídia tradicional quanto nas redes sociais. Na avaliação de Vieira, o Dia dos Pais é a terceira melhor data para a venda de eletro-eletrônicos, seguida do Natal e do Dia das Mães, em primeiro e segundo lugares, respectivamente.

O executivo lembra que a cadeia de lojas iniciou suas atividades com a oferta apenas de móveis e depois ampliou o leque de produtos. Por isso, no começo os produtos mais procurados no Dia dos Pais eram as poltronas, mesas e acessórios para computadores e estantes. Atualmente, são os aparelhos de TV de telas planas, tablets e smart phones.
 
Foto: Milton Mansilha/LUZ
(Fonte: Diário do Comércio SP – 19-7-12)