REDES

XX Congresso das ACEs destaca o desenvolvimento local

O segundo dia do evento começou logo cedo, às 8:30 da manhã o Teatro Tiradentes já estava lotado com as centenas de empresários participantes. Todos dispostos a encarar mais um dia com maratona de palestras e atentos para ouvir a apresentação de Willian Rodrigues de Brito, do Sebrae.

Brito abordou importantes conteúdos para as associações comerciais e, consequentemente, para a Federaminas. Desenvolvimento territorial, programas para grupos, planejamento estratégicos, tecido empresarial, produtos de inteligência territorial e Pro-Município, foram apresentados como ferramentas e estratégias voltadas para fomentar e desenvolver a economia local, identificando, interligando e capacitando os empresários das diversas regiões de atuação da Federaminas.

A segunda atividade da manhã desta sexta-feira (24) consistiu na apresentação da Serasa Experian pelo profissional da empresa Raphael Salmi. Ele começou apresentando a Serasa que, em 2007, foi comprada por 1,5 bilhão pelo grupo irlandês Experian. Segundo Salmi, essa mudança foi fundamental para que a Serasa passasse por uma verdadeira revolução, renovando toda a interação da empresa com seus colaboradores e assistidos, resultando em crescimentos significativos.

Salmi também apresentou os serviços oferecidos com exclusividade pela Serasa Experian e que serão muito uteis aos empresários, envolvendo todo uma gama de conhecimentos, dados e produtos.  “Nós vamos disponibilizar soluções para as associações comerciais de todo o Estado. Inclusive nossas equipes já estão trabalhando no desenvolvimento de produtos customizados, totalmente pensados para a tender as demandas que estamos identificando.”, explica Raphael Salmi.

 

A terceira palestra da manhã desta sexta-feira (24) foi como as demais: repleta de dinamismo, irreverência, interatividade e muito conteúdo voltado para desenvolver o potencial empreendedor dos participantes. Conferida por Eduardo Mesquita, a palestra tratou de variados e interessantes assuntos que juntos conferem uma excelente base para a organização empresarial.

Mesquita colocou como base para sua explanação os clientes. “Todo e qualquer investimento, seja em capacitação, pesquisa, melhoria processos, etc. Tudo mesmo deve ser feito priorizando os clientes.”, destacou. Desta maneira ele abordou que os valores da empresa devem ser pautados com esse objetivo: “Quando eu falo de valores de uma empresa eu falo de resultados, na correria do dia a dia, nós esquecemos o que realmente queremos e isso limita nosso sucesso.”

Segundo ele, os valores são fundamentais para gerar o impacto positivo nos clientes. “Temos que ser grandes pessoas, conscientes do tipo de tratamento que nossos clientes anseiam. E os clientes de hoje sabem que resultados a qualquer custo são negativos, por isso não são interessantes. É preciso gerar resultados com respeito”, observou.

Dentro da máxima de valorização dos clientes, Mesquita tratou da capacitação dos colaboradores, que devem absorver todos os valores que norteiam a organização da empresa.

 

- Alexandre Correa Lima mostra que entre os benefícios da felicidade está o lucro

 Fazer o que se gosta é estar feliz e estar feliz é obter resultados, em síntese este foi o conteúdo da última palestra da manhã desta sexta-feira (24) no Teatro Tiradentes do Grande Hotel de Araxá. Alexandre Correa Lima iniciou desconstruindo uma percepção tão popular quanto errônea sobre o conceito de trabalho. “A nossa cultura ocidental é impregnada da ideia do trabalho como castigo, mas não trabalhar não é um entendimento filosoficamente correto.”, destacou.

Lima lembrou que o fato de nossa vida ser mais confortável agora do que em qualquer outra era da evolução humana, deve-se ao trabalho. “Eis a importância da força do trabalho: hoje uma pessoa de classe baixa no Brasil vive muito melhor que um nobre da Idade Média.”, argumentou.

Ele, assim como outros palestrantes, ressaltou a importância dos colaboradores estarem devidamente preparados. “Funcionário feliz produz cliente feliz, funcionário revoltado produz cliente terrorista, capazes de fazer um grande estrago na marca.  Principalmente em um mundo no qual todos têm acesso às redes sociais e podem divulgar tudo que não agrada e contraria as expectativas.”, comentou.

O palestrante fez brincadeiras sobre a infelicidade durante o trabalho e apresentou pesquisas e números que provam a relação negativa com o trabalho. Lima também abordou a questão da liderança, que deve ser sempre mais participativa e cada vez menos ditatorial. “É preciso dar o feedback aos funcionários. É preciso dizer: parabéns! Seu trabalho está sensacional.”, observa. Para Lima, o reconhecimento por um bom trabalho incentiva a pessoa a continuar, assim como a repreensão por condutas indevidas impede que o funcionário continue.

Em suma: “Não podemos separar o trabalho de felicidade.”, finalizou o palestrante.