REDES

Mais de 200 mil empresas participam das pesquisas econômicas anuais

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) deu início à coleta de dados das pesquisas estruturais por empresas, que vão avaliar o desempenho da indústria, do comércio e dos serviços no Brasil em 2017. Além de levantar informações sobre pessoal ocupado, salários, receitas, lucros, áreas de atuação, as pesquisas também servem de base para o cálculo do Produto Interno Bruto (PIB).

Ao todo, 206.802 empresas de todo o país deverão participar da Pesquisa Anual da Indústria da Construção (PAIC), da Pesquisa Industrial Anual (PIA), da Pesquisa Anual do Comércio (PAC) e da Pesquisa Anual de Serviços (PAS), que terão os questionários aplicados, em sua maioria, via internet.

Neste ano, visando a facilitar o trabalho de preenchimento do questionário, o IBGE disponibilizou um arquivo que, após baixado, se conecta ao sistema das empresas selecionadas, permitindo o preenchimento automático dos dados. Parte das empresas também será visitada por cerca de 2.500 agentes do Instituto.

“Um dos maiores desafios da pesquisa é conscientizar os empresários da relevância do estudo para o país. Então iniciamos o processo de abordagem ainda em abril, explicando a importância dos resultados para o seu negócio e ressaltando o cuidado do IBGE no sigilo das informações prestadas”, disse a gerente das pesquisas estruturais por empresa Juliana Vasconcellos.

Maiores beneficiárias - A coleta vai até o dia 31 de julho e os resultados das pesquisas devem ser divulgados entre junho e agosto de 2019. De acordo com o diretor de Pesquisas do IBGE, Claudio Crespo, as próprias empresas serão as maiores beneficiárias dos resultados.

“A participação das empresas é essencial. São estatísticas importantes para empresários de todos os portes, pois lhes permitem conhecer a sua conjuntura de mercado, o desempenho da sua área de atuação e a participação da sua atividade no PIB, que é o principal indicador econômico do país. Por isso, é crucial que as participantes forneçam informações fidedignas”, ressaltou.

Durante a fase de coleta, as empresas receberão orientação técnica dos agentes do IBGE sobre como responder e enviar questionários. Os informantes também podem conhecer melhor as pesquisas e tirar dúvidas sobre a política de proteção de dados do IBGE no site respondendo ao IBGE

 

(Dados da Agência IBGE)