REDES

BH sedia encontro pela solução pacífica de conflitos empresariais

Com o objetivo de estimular a mudança da cultura do litígio no País e provocar ambiente favorável à adesão e incorporação do tema nas políticas institucionais empresariais, Belo Horizonte vai sediar em maio o Encontro pela Solução Pacífica de Conflitos Empresariais e adesão ao Pacto pela Não Judicialização dos Conflitos. O evento tem como realizadores a  Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Minas Gerais (OAB/MG), a Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB), por meio da Câmara Brasileira de Mediação e Arbitragem Empresarial (CBMAE), e a Federaminas, em parceria com o Sebrae.
 

A adesão ao pacto implica o simples compromisso de se adotar, interna e externamente, práticas firmadas com os métodos alternativos de solução de conflitos, explicam os realizadores do encontro, que acontecerá no dia 18 de maio, às 19h, na sede da OAB/MG, na rua Albita, 260, bairro Cruzeiro, nesta capital.
 

Os conflitos no Brasil geram grandes repercussões em diversos segmentos sociais. Sabe-se que o País é, culturalmente, litigante e as controvérsias decorrentes das relações, sejam elas entre cidadãos comuns, empresas e, principalmente, entre o próprio Estado, comprometem o avanço econômico, bem como a pacificação das relações comerciais e pessoais.
 

Essa alta litigância compromete a competitividade das empresas e afeta negativamente a imagem do país para investimentos e realização de negócios. O relatório Doing Business, do Banco Mundial, que acompanha o ambiente de negócios em 190 países, classificou o Brasil, em 2016, como o 123º mais fácil para se realizar negócios.
 

A finalidade do encontro em Belo Horizonte é conscientizar empresas e entidades na adoção de práticas adequadas de resolução de conflitos por meio dos métodos de negociação, conciliação e mediação, evitando prejuízos à imagem da marca junto ao mercado, além dos altos custos que os processos judiciais acarretam.

As inscrições para o evento devem ser feitas através do site www.cbmae.org.br