REDES

BDMG reduz juros para MPEs

O Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) ampliou sua carteira de clientes de micro e pequenas empresas em 30% no acumulado até abril em relação ao mesmo período de 2017. No mesmo confronto, os desembolsos do período para empresas desses portes, que já alcançaram cerca de R$ 70 milhões, cresceram 25% neste ano. E, para aumentar ainda mais os empréstimos para MPEs, o banco reduziu os juros para financiamentos para capital de giro para o segmento.

Desde a última sexta-feira (15), os empréstimos para capital de giro para MPEs passaram a ter taxas a partir de 1,27% ao mês e prazo de até 51 meses para pagar, dependendo da linha. Os recursos podem ser investidos na compra de máquinas e equipamentos, reposição de estoque e reformas, entre outros.

“É uma questão de acompanhar o mercado, mediante as reduções da Selic (taxa básica de juros) desde o ano passado para cá. Somos um banco de fomento e, por isso, é nosso papel ter taxas competitivas, assim como as MPEs são importantes para economia porque geram empregos e renda”, explicou o gerente-geral de MPEs do BDMG, Rodrigo Neves.

O gerente explicou que a iniciativa foi viabilizada graças às captações feitas com custos mais baixos, redução dos spreads e cortes de gastos internos. Entre as linhas que sofreram redução de juros está a Capital de Giro BDMG, com taxa a partir de 1,36% ao mês e prazo de até 48 meses para quitar o financiamento. Anteriormente, a taxa da linha era 1,48% ao mês.

Outras linhas com redução de taxas foram: o Empreendedoras de Minas, para MPEs lideradas por mulheres, com taxa a partir de 1,20% ao mês e até 51 meses para pagar (anteriormente a taxa era 1,32% ao mês); o Geraminas Social, para MPEs em municípios com IDHM abaixo da média do Estado, com juros a partir de 1,27% ao mês e prazo de até 51 meses (a taxa anterior era de 1,39% ao mês); e o Minas Criativa, para o fomento da economia da cultura e do conhecimento, com taxa a partir de1,33% ao mês e até 48 meses para pagar (antes a taxa era de 1,43% ao mês).

Metas – O gerente-geral de MPEs do BDMG revelou que a meta do banco para 2018 é alcançar desembolsos da ordem de R$ 220 milhões somente para MPEs, chegando a 7 mil clientes no segmento. Se o objetivo for alcançado, a base de clientes da instituição neste segmento crescerá praticamente 60% se comparada ao número de clientes em 2017.

Neves detalhou que os empréstimos do banco para MPEs são pulverizados, tanto em termos de região do Estado quanto em termos de setor de atuação da empresa. Ainda assim, segundo ele, apesar de o BDMG atender empresas de diferentes setores, como indústria e serviços, é o comércio que lidera os financiamentos. O tíquete médio das operações para MPEs neste ano foi de R$ 35 mil até abril.

“Como o BDMG também atende por meio de plataforma digital, temos um acesso democrático e, com a rede de correspondentes bancários conseguimos chegar a todas as regiões do Estado. Os empréstimos para MPEs são bem pulverizados, mas os financiamentos para o comércio predominam”, disse.

Fonte: Diário do Comércio