REDES

Associações Comerciais levam a Aécio sua preocupação com a guerra fiscal



A preocupação de Associações Comerciais com os reflexos sobre a economia de Minas da guerra fiscal promovida por estados limítrofes, provocando perda de competitividade e mesmo a evasão de empresas mineiras, foi exposta ao governador Aécio Neves em audiência no Palácio da Liberdade, em 2 de julho, por delegação da Federaminas – Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado de Minas Gerais liderada pelo presidente Wander Luis Silva.
 
Durante o encontro, que reuniu representantes das ACEs de Pouso Alegre, Manhumirim, Contagem, Além Paraíba, Carangola e Ipatinga, o dirigente da entidade estadual descreveu para o chefe do Executivo o trabalho que a Federaminas vem desenvolvendo para fortalecer o empresariado mineiro, especialmente o de micro e pequenas empresas, principal núcleo representado pelas entidades federadas, objetivando favorecer a sua maior participação na geração de riquezas em Minas.
 
Wander Silva ressaltou a identificação da Federaminas com as ações que o Governo vem implementando voltadas para o crescimento socioeconômico do Estado. Defendeu, por isso mesmo, maior aproximação do governador com as Associações Comerciais quando do cumprimento de sua agenda nas cidades do interior.
 
ICMS – A questão tributário-fiscal foi tratada com o governador Aécio Neves pelos presidentes de ACES. O de Carangola, Luis Américo Bertolaci Júnior, pleiteou do Governo diferenciação para o ICMS incidente sobre as operações das empresas desse município devido a sua proximidade com o Estado do Espírito Santo, que vem atraindo estabelecimentos empresariais mineiros através de incentivos fiscais. Reivindicação no mesmo sentido foi feita pelo presidente George Bracks Júnior, de Manhumirim.
 
O problema também preocupa a Associação Comercial de Além Paraíba, onde foi, inclusive, objeto de discussão em audiência pública. O presidente Fernando Maurício de Gouveia Junqueira, que estava acompanhado do vice-presidente Lizardo Glicério da Silva Filho, relatou a Aécio Neves a evasão de empresas para o Rio de Janeiro que o município vem registrando.
 
A apreensão com os reflexos negativos da guerra fiscal promovida por outros Estados é comum a várias regiões, conforme se observou da manifestação do presidente da AC de Pouso Alegre, Luiz Henrique Mendes, que se referiu ao fato da cidade estar próxima de São Paulo. O dirigente aproveitou a reunião com Aécio Neves para reivindicar a construção de um centro de convenções no Sul de Minas.
 
As reivindicações dos presidentes de ACEs na área tributário-fiscal tiveram ressonância junto ao governador, que determinou ao secretário de Estado da Fazenda, Simão Cirineu Dias, agendar reunião com representantes da Federaminas nos próximos dias para discutir o assunto. Aécio Neves também realçou seu interesse em estreitar contatos com a classe empresarial e deverá, inclusive, atender a convite do presidente da federada de Contagem para participar da solenidade de 25 anos de fundação da entidade, no dia 10 deste mês.